quarta-feira, 15 de março de 2017

Amar intensamente me tornou forte

Sabe de uma coisa?! Todo mundo já guardo dentro de si um sentimento verdadeiro, aquele que parecia não sair em hipótese alguma dentro do peito, trazendo consigo anseio, noites mal  dormidas e construção de planos juntos que não passaram do papel de uma escrita qualquer. Às vezes penso que não faltou mais nada em nossa história, nós nos amávamos, ele não dizia sempre, porém, provou em cada atitude enquanto esteve ao meu lado. Engraçado mesmo é esperar que ele volte, sim, é muito engraçado, esperar por alguém que simplesmente escolheu ir, partiu sem razão, destruindo os planos que escrevi ou pensei na calada da noite, trazendo para mim uma sensação de vazio de amor. Nós éramos felizes, ele me mandava bom- dia todos os dias, dizia que eu era o melhor presente de aniversário que ele havia recebido em toda sua trajetória, me levava pra lanchar, me acompanhava na igreja, nas ruas. Ah, lindo mesmo era quando nossas mãos se entrelaçavam uma na outra, fui acolhida pelo coração dele e por toda a família, eu não me importava em dormir super tarde e acordar com o bom-dia dele para ir trabalhar, era aquele sorriso logo ao amanhecer que me fazia sorrir o resto do dia, não me importava quando ele sentava com o violão e começava cantar enquanto eu lavava louça, cantávamos juntos, mas assim como muitas canções tem um início, também tem um meio e fim. O nosso relacionamento teve um início, um meio e sem querer, um fim. Sempre que eu deitava sobre o ombro dele, ele deslizava as mãos delicadamente sobre o meu cabelo, olhando fixamente para os meus olhos, minhas mãos suavam frio, minhas pernas ficavam trêmulas, sempre com uma dose de comunicação e meu lado tímido de ser, eu sorria, ah, eu sorria intensamente, olhar naqueles olhos era a melhor sensação do mundo. Acho que a vida se torna mais linda quanto conhecemos alguém que nos faça enxergar o quanto somos especiais, ao lado dele eu me sentia a pessoa mais especial do mundo. Tudo era nós, sempre nós dois, vencemos a distância, a saudade e abrimos o nosso coração. Eu jamais me importaria em suportar outro frio doloroso do inverno ao lado dele, meus queixos ficavam trêmulos, mas aquele abraço era o meu cobertor, era tudo o que eu tinha e o que eu precisava naqueles momentos. Tinha ciúmes, compreensão, amizade, companheirismo, ele me entendia como ninguém, até mesmo quando estava calada, o meu silêncio tinha um significado para ele, eu nunca vou entender porque certas coisas boas chegam ao fim, às vezes tenho certeza de que não faltou nada em nossa história, ele só precisava me conhecer e eu só precisava conhecê-lo, amar intensamente me tornou forte, forte para aceitar que o fim do nosso relacionamento seria a chance de recomeçar e acreditar que ainda eu posso ser feliz, talvez não hoje, nem amanhã, nem mês que vem, porém, quando der, quando for pra ser, pois nada faltou em nossa história, o que faltava era uma borracha para apagar da minha memória tudo o que eu pensei que duraria pra sempre e que durou menos do que eu esperava. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário